Terça, 15 de outubro de 2019
87.99944-0258
Saúde

21/08/2019 às 13h43

32

Redacao

Ouricuri / PE

Bebês a partir de 6 meses deverão ser vacinados contra sarampo, diz Ministério da Saúde
Crianças menores de um ano, faixa mais suscetível ao sarampo, correspondem a 14% dos infectados, com 228 casos
Bebês a partir de 6 meses deverão ser vacinados contra sarampo, diz Ministério da Saúde
Vacinação contra o sarampo Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bebês de seis meses a 11 meses e 29 dias em todo o país deverão ser vacinados contra o sarampo a partir desta quinta (22). Trata-se de uma medida do Ministério da Saúde, anunciada nesta terça (20), para combater o surto da doença no país. 

Em 2019, foram confirmados 1.845 casos de sarampo em todos os estados, de acordo com dados divulgados nesta tarde pelo Ministério. Os índices indicam uma tendência de redução nos casos: foram 1.008 em julho, ante 197 até 18 de agosto. 

Crianças menores de um ano, faixa mais suscetível ao sarampo, correspondem a 14% dos infectados, com 228 casos. A faixa mais atingida é aquela de 20 a 29 anos.


São Paulo concentra a maior parte dos casos –espalhados por 74 municípios–, seguido por Rio de Janeiro e Pernambuco. Não foram confirmados óbitos em decorrência da doença neste ano. Durante todo o ano passado, houve 10.330 registros. 

A "dose zero" deve atingir 1,4 milhão de crianças, segundo o secretário de vigilância em saúde da pasta, Wanderson de Oliveira, que conduziu uma coletiva sobre o assunto durante a tarde. A dose extra já era recomendada no estado de São Paulo. 

Ela não substituirá as doses que fazem parte do calendário nacional de vacinação. Ou seja: crianças ainda deverão tomar a tríplice viral aos 12 meses e a tetraviral ou tríplice viral associada à varicela aos 15 meses. 

Não se trata de uma campanha de vacinação, mas de uma ação preventiva, segundo o secretário. Por isso, diz, não é preciso haver uma corrida para postos de saúde. Haverá um reforço de mais de 1,6 milhão de doses de vacina para atender ao público. 

O secretário atribui o surto da doença à baixa cobertura vacinal, que pode ter sido potencializada por "fake news" sobre vacinação. A Folha de S.Paulo revelou em junho que o Brasil tem sete das oito principais vacinas infantis com cobertura abaixo da média. Oliveira também nega que as doses oferecidas fora do calendário oficial sejam mais fracas ou fracionadas. 

O Ministério orienta ainda aos estados que seja feito um bloqueio vacinal seletivo em todos os contatos do suspeito em até 72 horas. 

A pasta irá reforçar ações contra o sarampo nas próximas semanas, o que inclui reuniões com governos locais e especialistas. Em outubro, será realizada uma campanha nacional de multivacinação. 

Em março, após um ano sem conseguir interromper a transmissão do sarampo, o Brasil perdeu o status de país livre da doença. O reconhecimento havia sido concedido pela Opas (Organização Panamericana de Saúde) em 2016.

O sarampo é uma doença grave e contagiosa que pode ser transmitida por meio do contato direto com a secreção da pessoa infectada ou pelo ar. Febre alta, tosse, coriza, manchas avermelhadas na pele e manchas brancas no interior das bochechas são alguns dos sintomas.

Casos de sarampo sobem 36,23% no estado de São Paulo em uma semana O número de casos de sarampo aumentou 36,23% na última semana, no estado de São Paulo. Entre os dias 13 e 20 de agosto, as notificações da doença subiram de 1.319 para 1.797, segundo balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde nesta terça (20).

A capital paulista chegou a 1.314 casos contra 997 na semana anterior –alta de 31,79%. Dos casos notificados no estado, 73% concentram-se na cidade de São Paulo.

Além de São Paulo, os cinco municípios paulistas com o maior número de registros da doença são Guarulhos (Grande SP), Santo André (ABC Paulista), São Bernardo do Campo (ABC Paulista ), Fernandópolis (a 555 km de SP) e Santos (86 km de SP), com 56, 47, 35, 29 e 25 casos, respectivamente.

FONTE: Folha PE

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium